logo1

Dia 12 de outubro é o dia em que as crianças comemoram o seu dia. Brincam, se divertem, ganham presentes, mas é importante que os adultos também reflitam que a infância também é um momento de formação espiritual. A Igreja Católica oferece muitas formas para que, desde o  nascimento, a criança esteja ligada a Deus. Uma dessas formas é a catequese, que pode colaborar na formação de uma criança, se tornando um jovem e um adulto mais conscientes do ser cristão em nosso meio.

 

/Para Lázara Maria da Silva, que é catequista há 20 anos na Matriz de Campinas, é de grande importância instruir as crianças sobre a vida religiosa. “É preciso mostrar pra elas que existe um Deus e que nós dependemos desse Deus para viver, que ele nos ampara, nos orienta. Geralmente as crianças estão brincando e correndo dentro da igreja, mas elas possuem noção da importância do momento da missa e o seu significado”, comenta.

A introdução de uma criança na vida religiosa, começa na família, desde o seu nascimento. A mais importante catequese é a familiar em que se aprende  valores como amor e respeito ao próximo, em que a presença dos pais na vida dos filhos é fundamental. É nessa catequese que se aprende o amor a  Deus e o respeito à família.

“Algumas famílias se preocupam com essa questão do ensinamento religioso dentro de casa. De uma certa forma fica mais  fácil, mas dá mais responsabilidade pra gente saber transmitir, a gente tem que procurar dentro do nosso meio, porque a mudança da sociedade  é muito rápida, as crianças nascem exigindo e cobrando muito, então a gente tem que procurar uma maneira mais fácil de cativar a criança”, aponta  Lázara. A catequese ministrada na Igreja é um processo de educação na fé e maturidade dentro de uma comunidade, levando a uma consciente e ativa  participação do mistério litúrgico e estimulando uma ação apostólica. É também por meio da catequese que a criança se prepara para a realização da  sua Primeira Eucaristia. É parte de uma formação que torna crianças comprometidas com o Reino de Deus e com a comunidade e, a partir disso,  cria uma nova postura diante de uma sociedade que privilegia o que é breve e momentâneo.

Para o Padre Walmir Garcia, reitor da Matriz de Campinas, a catequese infantil deve ser incentivadora, mais dinâmica e levar as crianças a se formarem na fé, no respeito aos valores cristãos. “Sinto que uma catequese bem alicerçada na fé dá suporte para que a criança seja perseverante na fé a vida toda”, afirma o padre.

Missa das crianças

Na Matriz de Campinas é celebrada, todos os domingos às 8h30 da manhã, a missa das crianças, com o objetivo de valorizar a presença e atuação  das mesmas, dando a elas um espaço agradável e descontraído e não fiquem entediadas com as celebrações tradicionais. “Eu não me importo com  o barulho das crianças, mas me incomodo com o ‘cochilo’ dos adultos.

Criança deve ser criança e é impossível ter a mentalidade do adulto. Eu,  particularmente, gosto muito de celebrar essa missa, pois gosto muito de criança”, comenta Padre Walmir, que celebra a missa. As crianças  costumam ficar “livres” durante a missa e estão sempre perto do altar, durante os cânticos muitas dançam no presbitério e ficam muito à vontade.

A  missa é celebrada normalmente com os ritos formais e a pregação não está inteiramente voltada às crianças. “Dois momentos que me chamam a  atenção na missa é o abraço da paz, onde todas as crianças da Igreja vêm dar o abraço em mim (gosto demais disso) e no momento de Ação de  Graças, quando convidamos todas as crianças para subirem ao presbitério e ali se faz um momento de louvor com danças e músicas infantis. Muitos  pais têm ido à Igreja para verem seus filhos dançarem lá na frente e muitos incentivam, vão junto, tiram fotos, é uma festa. Eu sei que essa  liberdade que é dada a elas, no espaço litúrgico, é fundamental para que elas se sintam bem e acolhidas na Igreja  e sintam vontade de voltar”, conta  padre Walmir.
 
JANAÍNA FIDELIS E WEVERTON SANTOS
Colaboradores do Jornal Matriz

@Todos os direitos reservados - Matriz de Campinas 2017